Últimas Notícias

Quarta-feira de Cinzas marca início da Quaresma

A Quarta-feira de Cinzas (06) marca para os católicos a Quaresma, período de 40 dias que antecedem a    celebração da Páscoa. A Igreja Católica convida os fiéis a se prepararem profundamente para viver os mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo na Semana Santa. Em Teresina, as celebrações com a imposição das cinzas - ato que representa um gesto de conversão e de reconhecimento da necessidade da misericórdia de Deus – marcaram também a abertura da Campanha da Fraternidade 2019, que ocorreu às 07h, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, no bairro Cabral.
Para o pároco Fábio Fernandes, a Quaresma representa para a Igreja o "tempo que remonta à experiência em alusão aos 40 anos em que o povo de Deus caminhou pelo deserto e aos 40 dias em que Jesus também passou no deserto. Esse tempo, a Igreja utiliza para bem prepararmos e celebrarmos com alegria a Páscoa do Senhor", explica. 
Padre Fábio Fernandes | Crédito: José Alves Filho
As cinzas representam para os católicos, segundo padre Fábio Fernandes, um processo contínuo de conversão onde obras de penitência são feitas, como jejum para as pessoas: elas podem tomar apenas uma refeição principal (almoço ou jantar). Também é obrigatória na Quarta-Feira de Cinzas a abstinência de carne para todos os fiéis. Aos cristãos que recebem as cinzas, a Igreja orienta que eles tomem medidas concretas de conversão e penitência, como jejum, esmola e oração, que devem ser praticados de forma mais intensa para que aprendam o significado interior que o gesto tem durante este tempo litúrgico.
"As cinzas vieram de uma cerimônia adaptada do mundo judaico, onde vestes e estopas indicavam penitência, um processo de arrependimento interior. Quando as pessoas recebiam alguma penitência, elas ficavam nas portas das igrejas, contidas com um saco, sentadas sobre cinzas e com cinzas na cabeça, indicando a quem estava entrando no templo que aquela pessoa estava em processo de conversão. Nesse sentido, com a reforma litúrgica, na Quaresma impomos cinzas sobre a testa, um sinal exterior de que estamos entrando nesse processo de conversão", orienta padre Fábio.

Campanha da Fraternidade
É também nesta ocasião que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) regional Nordeste IV, realiza a abertura da Campanha da Fraternidade (CF), que este ano traz como tema “Fraternidade e Políticas Públicas”, e como lema “Serás libertado pelo direito e pela justiça”, com referência ao texto bíblico de Isaías 1,27.
A Campanha da Fraternidade 2019 segue até o Domingo de Ramos, celebrado no dia 14 de abril. O tema foi escolhido devido ao clamor da comunidade cristã brasileira em torno de conhecer como são formuladas e aplicadas as políticas públicas estabelecidas pelo Brasil, que para a Igreja empenha-se em fortalecer a cidadania e o bem comum. "A Igreja procura perceber os sinais dos tempos e, a cada ano, no período quaresmal, a ela traz um convite à sociedade. Para este ano, queremos lembrar que o Estado tem que ter presença, sobretudo, para equilibrar as muitas desigualdades que existem na vida social. 'Somos Sal da Terra e Luz do Mundo', e nesse sentido, para auxiliar esse equilíbrio das muitas desigualdades que existem, as políticas públicas devem ser sérias e bem gerenciadas", explanou o pároco. 
Com essa campanha, a Igreja se aproxima mais da doutrina social que o Papa Francisco espera dos católicos. Segundo o pontífice, neste momento, existem três campus de diálogo onde a Igreja deve estar presente: com os Estados, com a sociedade – que inclui o diálogo com as culturas e as ciências - e com os outros crentes que não fazem parte do catolicismo. (V.P.)

Nenhum comentário