Enem: Professora estimula a prática da redação via WhatsApp no Piauí - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

15 de out. de 2020

Enem: Professora estimula a prática da redação via WhatsApp no Piauí


A professora Hildalene Pinheiro viu de perto a dificuldade dos alunos com a redação em um período tão difícil. Em razão da pandemia do novo coronavírus, que tirou os alunos de sala de aula, as dificuldades foram crescendo e as dúvidas aumentando. Pensando em uma solução para isso, ela criou salas de aula on-line para o Pré-Enem Seduc, como forma de acompanhar de perto, via Whatsapp, o desenvolvimento da escrita dos pré-vestibulandos.


Professora Hildalene Pinheiro idalizou projeto - Fotos: Lucrécio ArraisO projeto piloto que busca criar ambientes virtuais de reforço e aprendizagem como suporte à ausência das aulas presenciais aos estudantes do Ensino Médio, em especial da rede pública, que estão se preparando para o ENEM. O projeto tem como objetivo alcançar o maior número possível de estudantes piauienses inscritos no ENEM, que neste momento de distanciamento social buscam apoio e precisam de estímulo, além de um acompanhamento diferenciado para o aprendizado de conteúdos, mas também com suporte moral e emocional.

Como uma monitoria, os alunos participam de atividades pedagógicas via WhatsApp, Telegram e outras redes sociais digitais como o Facebook, Instagram, YouTube, Zoom e Google Meet. Os grupos são formados por alunos, professores e colaboradores que atuam voluntariamente para o preparo cognitivo e emocional dos alunos.

Projeto piloto busca criar ambientes virtuais de reforçoA plataforma alternativa tem trazido bons resultados. “O principal interesse nosso era acompanhar o aluno na rotina de estudos e no lado emocional. O que eles estão passando nesse período inédito? Não é fácil um jovem ativo ficar isolado. Além disso, na pouca idade que eles têm, é difícil criar uma rotina de estudos sozinho”, revela Hildalene.

A ferramenta escolhida está próxima dos estudantes. “Surgiu a ideia de fazer isso no WhatsApp, que geralmente já está incluso no pacote de dados. Então os jovens usam em massa e eles têm mais acesso. Lançamos no dia 14 de junho em uma das lives do Pré-Enem. Então colocamos a ideia e a equipe abraçou a ideia. Tinha aluno para mais de dois grupos”, acrescenta.


Alunos participam de atividades via redes sociais 

Chegar até onde o aluno está: o WhatsApp

O professor Francisco Rufino é um dos colaboradores da ideia brilhante da professora Hildalene. Ele avalia de forma positiva a iniciativa, que ultrapassa barreiras de pacotes de dado das operadoras telefônicas. Ele destaca que é preciso chegar até onde os estudantes estão.

Professor Francisco Rufino

No meio digital, é fácil perceber que eles estão nas redes sociais. “O projeto é muito bonito. Sempre usamos as plataformas digitais, inclusive com o aplicativo Canal Educação, que já fazia esse trabalho de receber textos e corrigir em 72h. Mas muitos alunos não tinham acesso. Mas no WhatsApp eles estão lá. Então eles mandam no meu privado e eu corrijo até 10 redações por dia”, considera.

O atendimento aos alunos é integral através da internet. “O aluno não tem mais o contato físico do professor para que ele corrija com ele linha a linha, mostrando os erros dele. Como fazer ele relacionar os argumentos com o texto? Para isso, contamos com a ajuda de ex-alunos, que são nossos monitores, além dos demais professores do projeto”, revela.


Alunos aprovam iniciativa da professora

Antônio Sousa, do 3º ano do Ensino Médio da Unidade Escolar Antônio Pereira de Araújo, em São João do Piauí, diz que as aulas estão ajudando muito. “Eu me sentia muito perdido, mas agora tudo mudou. Além de ter a oportunidade de aprender mais, agora posso revisar vários conteúdos. Além da sala destinada para a preparação do Enem, tem também o grupo exclusiva para correção coletiva das redações. O aluno escreve a redação e pode corrigir. Eu faço parte de todas as salas oferecidas pela Seduc, sempre vejo vários alunos falando da importância desse auxílio, inclusive gente de fora do Piauí. Sinto-me honrado de fazer parte da família Seduc”, afirma.

Plataforma talternativa em trazido bons resultados 

Charlisson, de 14 anos, está na 1º ano do Ensino Médio e participa desse processo. “Sou aluno e monitor da correção coletiva. A educação a distância oferece agilidade, praticidade e muitos benefícios que só são possíveis com um ambiente propício ao aprendizado on-line. Os grupos são focados em resultados”, considera.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI