Polícia conclui inquérito de mulher morta com facada no pescoço no Piauí - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

14 de out. de 2021

Polícia conclui inquérito de mulher morta com facada no pescoço no Piauí



O delegado Miguel Carneiro, titular da Delegacia Regional de Polícia Civil de Jaicós, concluiu o inquérito sobre a morte de Gracenilda de Oliveira Silva, de 34 anos, ocorrido na noite do último dia 4 de outubro, em sua própria casa, na cidade de Jaicós.

No dia do fato, a Polícia Militar foi acionada para atender um caso de suicídio. No entanto, ao chegar no local, os policiais levantaram a suspeita de que a mulher pudesse ter sido assassinada com um corte no pescoço. Um jovem de 21 anos, genro da mulher morta, foi encontrado no local com a roupa ensanguentada e demonstrando nervosismo, chegando, inclusive, a ser socorrido pelo SAMU e levado para o hospital da cidade.


Suspeito de matar mulher é levado a presídio - Foto: Reprodução/Cidades na Net


A Polícia Civil e a Perícia Criminal foram acionados e analisaram o local. Diante suspeitas, o genro de Gracenilda foi levado do hospital para a Delegacia, passando a noite recolhido. Na tarde da terça-feira, 5 de outubro, o delegado Miguel Carneiro, responsável pelo caso, diante do conjunto de indícios, decretou a prisão do suspeito em flagrante. No mesmo dia foi realizada a audiência de custódia, onde juiz e promotora decidiram por manter a prisão.

A Polícia Civil, no entanto, ainda aguardava os laudos do exame cadavérico feito no corpo de Gracenilda e da perícia feita na residência onde o corpo foi encontrado. O delegado Miguel recebeu o material no início desta semana, e nesta quarta-feira, 13, concluiu o inquérito policial.

“Concluí o inquérito dentro do prazo e entreguei ontem no Fórum. Ele foi indiciado por homicídio qualificado. No laudo cadavérico, o médico legista apontou uso do meio cruel. A vítima foi assassinada por esgorjamento. Isso é uma qualificadora do homicídio. Além disso, ele prevaleceu a proximidade com a vítima, do fato de morar com a vítima, para praticar o crime”, informou o delegado responsável pelo caso.

“Chegamos a essa conclusão considerando tanto o laudo cadavérico, feito pelo médico legista em Floriano, quanto o laudo pericial feito no local do crime pelo perito criminal da Polícia Civil, que analisou a cena do local do crime. Nenhum desses laudos apontaram a possibilidade de suicídio, pelo contrário, os dois apontaram para homicídio por morte violenta”, disse Miguel Carneiro.

Miguel Carneiro, delegado regional de Jaicós – Imagem: Jaqueline Figueredo

Nos interrogatórios a que foi submetido, o jovem, de 21 anos, genro da vítima, usou o direito de silêncio e não deu nenhuma informação sobre o caso.

O delegado Miguel salientou que deu prioridade ao caso para que pudesse ser concluído com rapidez e não restassem dúvidas sobre a causa da morte de Gracenilda. O caso agora está com o Poder Judiciário. “Os próximos passos agora são com o judiciário e a promotoria. A Polícia Civil concluiu o serviço”, disse.

Em entrevista, o delegado fez questão de destacar a atuação dos policiais que tiveram o primeiro contato com a cena no crime, tanto os militares, como os civis, e que no primeiro identificaram indícios de que a vítima não tivesse tirado a própria vida, mas sim, assassinada pelo genro. A autoridade policial enalteceu, também, a atuação do Ministério Público, por meio da Promotoria de Jaicós, que na audiência de custódia, opinou pela manutenção da prisão do suspeito do crime. “Se o Ministério Público tivesse opinado pela liberdade, ele teria sido solto, e agora, que foi constatada a prática do crime, ficaria mais difícil capturarmos ele”, pontuou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI