O desempenho dos esportistas piauienses nas eleições municipais - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

10 de dez. de 2020

O desempenho dos esportistas piauienses nas eleições municipais

 Em toda eleição nos níveis municipal, estadual e federal temos candidatos ligados ao esporte nas diversas modalidades. Ao longo dos anos têm sido muitas as tentativas, sem êxito. 

Existem até aqueles que dizem "esporte não dá voto". Não é uma verdade total. Alguns até que conseguiram boas votações, mas não foram eleitos. Ocorre que na hora da disputa pesa muito a questão financeira. 

Outro ponto bem significativo é a falta de estrutura para realização da campanha, que não pode ser muito amadora. Quantas vezes um grupo de amigos que têm simpatia, preferência por alguém do esporte, muda para outros candidatos por motivos diversos. 

Somente a popularidade não elege. Ela tem que contar com outros fatores decisivos, inclusive com o momento favorável que está vivendo no esporte. O mesmo vale para as pessoas ligadas às comunicações.
 
Vamos a alguns nomes de pessoas do esporte que concorreram nas recentes eleições de 2020:

- Renato Berger, ex-presidente do River e Secretário da SEMEL, eleito com 2.504 votos. Renato é político de grande experiência eleito para vários mandatos de vereador em Teresina, inclusive sendo Presidente da Câmara Municipal. O único eleito em Teresina

- Genivaldo Campelo, atual Presidente do River - 2.314 votos; Elizeu Aguiar - ex-presidente do River(já foi vereador e deputado federal) - 1.338 votos; Dílson Rsende - diretor do Flamengo - 925 votos; Robert Ibiapina, ex-diretor do River - 504 votos.

-Ivo do Esporte - 65 votos. Caetano - 436 votos; Queiroz do Judô - 1.294 votos; Tati do vôlei - 96 votos; Joaquim Saraiva - 124 votos; Pai André Capoeira - 42 votos; Marcelo Capoeira - 581; Joselito do Karatê - 344.

- Marcão, ex-jogador e técnico de futebol - 181 votos; Panzilão, nome muíto conhecido no futebol piauiense e figura popular nos meios esportivos - 112 votos; Simão Teles Bacelar. Trata-se de Sima, o maior artilheiro  piauiense e nordestino e o jogador de futebol do Piauí mais conhecido em todo o Brasil, teve apenas 121 votos.  

Fica claro que os companheiros de futebol e das peladas semanais pouco votaram nos dois. Também não houve a divulgação necessária da campanha. Sima apareceu na TV uns 30 segundos e nada mais. 

Pouca gente ficou sabendo de sua candidatura a vereador de Teresina. Se houvesse uma campanha bem feita, Sima teria uma votação expressiva.

Nas cidades que têm clubes no Campeonato Piauiense, temos conhecimento da eleição do Presidente do Parnahyba, Batista Filho com 1.243 votos, derrotado na eleição anterior. Registrado como Batista do Catanduva, ele já fazia política há algum tempo.

NO FUTEBOL BRASILEIRO

No plano nacional temos conhecimento da reeleição do expresidente do Atlético Mineiro Alexandre Kalil para Prefeito de Belo Horizonte.

Marcos Braz, vice doretor de futebol do Flamengo do Rio Janeiro, eleito vereador com 40938 votos, o 6º mais votado no Rio.

O goleiro do Clube do Remo do Pará, Vinícius, eleito vereador com 7.079 votos.

Entre nomes famosos, não conseguiram vencer nas eleições:

Acelino Popó, campeão mundial de boxe, na Bahia;  Eduardo Bandeira de Melo, ex-presidente do Flamengo, candidato a Prefeito no Rio; Luiz Lima, campeão na natação. Teve 108.336 votos para Prefeito do Rio, mas não deu.

Outros que foram canidatos e não venceram:

Carlinhos Bala - ex-jogador, em Recife; Serginho, ex-jogador de vôlei,em Belo Horizonte; Paulo Rink, ex-jogador de futebol, em Curitiba; Adriano Gabiru, campeão do mundo pelo Internacional-RS; Diego Hipólito, medalha de ouro na ginástica, em São Paulo; Maurren Maggi, medalha de ouro em saldo em distância, em São Paulo; Dinei e Marcelinho Carioca, ex-jogadores do Corinthians-SP; Ademir da Guia, ex-jogador do Palmeiras; Sorato e Roberto Dinamite, ex-jogadores do Vasco da Gama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI