Sintetro rebate acusações do Setut sobre bloqueio na saída das garagens de ônibus - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

4 de abr. de 2022

Sintetro rebate acusações do Setut sobre bloqueio na saída das garagens de ônibus

 Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com 

greve no transporte público em Teresina entra, neste domingo (03/04), no seu 14º dia com 100% da frota parada. Segundo o Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina) isso acontece porque o Sintetro (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários) está impedindo que os ônibus saiam das garagens.

A entidade que representa os trabalhadores, no entanto, afirma que a informação não procede e acusa o Setut de divulgar "fake news" para tentar manipular a opinião dos usuários do transporte coletivo na cidade.  

“O que a gente vê do lado patronal são mentiras a fim de colocar o povo contra a nossa categoria. Volto a afirmar que não estamos realizando boicotes, como eles estão afirmando nos meios de comunicação”, afirmou Antônio Cardoso, presidente do Sintetro.

O Setut fez a acusação logo após a decisão do juiz João Gabriel Furtado, da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública, que determinou a circulação de 80% da frota em horário de pico e 60% no entrepico. 

Essa já é a segunda decisão judicial que determina o funcionamento da frota de ônibus em Teresina durante a greve.

A desembargadora Liana Chaib, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), havia determinado em 21 de março que, durante a greve dos motoristas e cobrados do transporte coletivo em Teresina, deve haver a circulação de 80% da frota de ônibus nos horários de pico e 60% nos horários de entrepico.

“O Sindicato dos Trabalhadores (SINTETRO) tem impedido a saída dos veículos e descumprido a determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT). 100% da frota segue inoperante devido ao impedimento", diz trecho de nota do Setut. 

Por meio de nota, o Sintetro afirmou que “mesmo com todos os problemas, os profissionais estão à disposição das empresas para retornarem suas atividades a fim de aliviar a vida dos teresinenses, bem como dialogar sobre as demandas da classe”. 

Impasse

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) informou nesta quinta-feira (31) que não vai apresentar qualquer tipo de proposta para os trabalhadores do transporte coletivo, que estão em greve desde o dia 21 de março, até que a Prefeitura de Teresina se comprometa a passar mais recursos para o sindicato.

A desembargadora Liana Chaib e o desembargador Manoel Edilson, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), tentam agilizar um acordo, mas até o momento sem sucesso.

A Prefeitura de Teresina já apresentou uma proposta onde continuaria a manter o repasse para o Setut de R$ 1,2 milhão, além da possibilidade um aporte para o subsídio do diesel e até mesmo um repasse fixo para os trabalhadores do transporte coletivo, em valor não informado.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário