Gerente do Vasco agride Gabigol durante confusão em campo - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

14 de nov. de 2019

Gerente do Vasco agride Gabigol durante confusão em campo

Ao fim de um clássico de oito gols entre Flamengo e Vasco, na noite de quarta (13), no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, uma grande confusão entre integrantes dos dois elencos tomou conta do gramado e se estendeu até a entrada do vestiário.
Durante o tumulto, André Souza, gerente de futebol do Cruzmaltino, agrediu o atacante Gabigol. O duelo, que teve viradas e gol nos acréscimos, terminou empatado em 4 a 4.
O tumulto começou após o atacante Ribamar, do Vasco, e o zagueiro Pablo Marí, do Flamengo, se estranharem. Após o apito final, o atacante cruzmaltino tentou cumprimentar o adversário, que respondeu puxando o braço e fazendo um gesto mostrando que não queria conversa.
Ribamar não gostou da atitude, xingou o espanhol e deu um tapa no braço dele. O flamenguista tentou devolver, mas Ricardo Graça chegou empurrando, num movimento que deu início a uma grande discussão entre jogadores e membros das comissões técnicas. Ainda em campo, André Souza, que é gerente de futebol do Vasco, agrediu Gabigol -imagens do Premiere mostram o membro da diretoria do clube de São Januário dando uma joelhada na altura da coxa do camisa nove. A atitude fez com que a discussão ficasse mais quente.
Marcos Braz, vice de futebol do Flamengo, falou sobre a agressão a Gabigol ainda na zona mista do Maracanã: "Não pode acontecer é um integrante da comissão agredir um jogador após o jogo. Foi na frente de todo mundo. Isso não pode acontecer. O presidente do Vasco poderia fazer alguma coisa", cobrou.
Gabigol explicou porque, inicialmente, estava sentado à beira do gramado, longe da confusão, e ressaltou não entender o motivo de ter sido vítima da joelhada do dirigente vascaíno. "Fiquei ali quieto porque sabia que o juiz gosta de dar cartão, sabia que os jogadores do Vasco iam me provocar. No [jogo contra o] Botafogo, apanhei calado. Hoje, tomei cartão por lance de jogo. Depois, estava conversando com o Fellipe Bastos, e ele [André Souza] veio e me deu um tostão. Não entendi muito bem o que aconteceu, mas ele me agrediu. Na verdade, nem tive reação. Quando sai do campo, tudo fica numa boa, mas agressão é algo que não dá para entender", salientou.
O empurra-empurra chegou às entradas dos vestiários e, depois de algum tempo, e com intervenção de seguranças, os ânimos se acalmaram. Ribamar, em entrevista à Rede Globo, afirmou que a confusão foi algo "de jogo". "[Foi uma] Confusão normal. É clássico, Vasco e Flamengo.. O clima esquenta. Depois do jogo, volta ao normal", disse.
Bruno Henrique, por outro lado, fez críticas à postura dos adversários: "Discussão de jogo. Para ganhar da gente, tem de ser assim. A gente tem de ter a cabeça no lugar. Era isso que eles queriam, tumultuaram o jogo, fazendo gracinha", disse.
Durante entrevista coletiva, questionado sobre a confusão, o técnico Jorge Jesus fez duras críticas ao gerente vascaíno, afirmando que a atitude dele foi um desrespeito à história do Vasco.
"As emoções de jogo, ainda mais nestes dérbis, acontecem sempre. Alguns jogadores menos equilibrados, discussões mais fortes acontecem. Mas, quando um dirigente, e não sei o nome dele e nem me interessa saber, toma essa atitude, isso que é grave. Mais do que falta de respeito com o Gabriel, foi falta de respeito com o clube em que ele está. O Vasco da Gama é um clube de história e esse senhor não tem capacidade de trabalhar num clube como o Vasco da Gama", disse.
Fonte: Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI