Incêndio destrói fábrica em Teresina e proprietário suspeita de ação criminosa - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

17 de jan. de 2021

Incêndio destrói fábrica em Teresina e proprietário suspeita de ação criminosa

 


 Imprimir
  • incendio_lucas_10.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_9.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_8.jpgLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_7.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_6.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_5.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_4.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_3.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_2.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com
  • incendio_lucas_1.JPGLucas Oliveira/Cidadeverde.com

Um incêndio de grandes proporções atingiu uma fábrica metalúrgica, que também trabalha com fabricação de móveis, no bairro Matadouro neste domingo (17). O proprietário Antônio Pires esteve no local e acredita que o incêndio foi criminoso, pois as filmagens das câmeras de segurança mostram pessoas entrando na empresa, antes das chamas iniciarem.  Ninguém ficou ferido. 

As chamas tiveram início às 12h30. O Corpo de Bombeiros foi acionado e controlou o fogo por volta das 13h10. Houve muita fumaça, o que dificultou um pouco o trabalho dos bombeiros. 

Antônio Pires relata que a fábrica tem 30 anos de fundação em Teresina. No momento, ele não sabe relatar os valores do prejuízo provocado pelo incêndio, mas acredita que “são grandes”. A fábrica produz mobiliário e container. 

O tenente Juarez Junior, do Corpo de Bombeiros do Piauí, relatou ao Cidadeverde.com que neste primeiro momento não pode confirmar as causas do incêndio, apenas uma perícia poderá apontar com exatidão o que provocou o fogo na fábrica.

Assim que começou as chamas, não havia funcionários na fábrica. Um cachorro estava no local, ele ainda não foi localizado, mas o proprietário disse que já escutou os latidos do animal.  Os bombeiros também procuram por cilintros para evitar maiores estragos. 

O proprietário relatou que a fábrica tinha acabado de receber muitos materiais, como espumas e tecidos. Ele acredita que tudo foi destruído. 

Apesar da situação, ele estava tranquilo, disse que não adiantava se desesperar. “Vão os anéis, ficam os dedos”, disse. Antônio Pires acrescenta que agora é trabalhar para recuperar a fábrica colocando-a para funcionar dentro da sua normalidade. 

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI