Escassez de chuvas vai prejudicar safra no Piauí; em algumas áreas produção de soja vai cair 20% - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

5 de fev. de 2021

Escassez de chuvas vai prejudicar safra no Piauí; em algumas áreas produção de soja vai cair 20%



Fevereiro chegou trazendo uma má notícia para o mundo agro. E ela vem do céu. A meteorologia está prevendo um mês com chuvas abaixo da média, principalmente na região do Matopiba, que é uma área brasileira plantada entre os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. O local é considerado atualmente a última fronteira agrícola e responsável pela produção de quase 10% da safra nacional de grãos.


E um dos motivos para essa escassez de chuvas neste período vem do fenômeno climático La Niña. Trata-se do aquecimento das águas do oceano Atlântico e a continuidade das águas frias no Pacífico, modificaram por completo o panorama climático da safra de verão. Por conta de uma variação intrassazonal na América do Sul, desde dezembro, as pancadas de chuvas estão mais concentradas sobre o Centro-Sul do Brasil, enquanto o Nordeste passa por um período mais seco que o normal.

E a região mais afetada está justamente entre os quatro estados do Matopiba. “O volume de chuva previsto para janeiro naquela região foi bastante expressivo mas, por conta do fenômeno La Niña, ele já foi 60% menor do previsto em dezembro. E agora, já se percebe uma nova redução para este mês de fevereiro, na ordem de 50% do acumulado na média”, informou o climatologista Werton Bastos, acrescentando que tradicionalmente os meses de fevereiro, março e abril, são os mais chuvosos no Nordeste e próprios para a colheita.



Outra explicação para esse período de seca, conforme o climatologista, é que a variação intrassazonal não dura para sempre. Durante boa parte de 2020, observou-se um padrão típico do La Niña com atraso no retorno da chuva na primavera do Sudeste e Centro-Oeste e chuva inferior ao normal no Sul. E, ao longo do mês de fevereiro, voltaremos a observar o cenário clássico do La Niña com enfraquecimento da chuva no Sul, Argentina e Uruguai e aumento das precipitações no Nordeste. A boa notícia é que a partir da segunda quinzena de fevereiro, a chuva forte venha tomar de conta de todo o Nordeste.

“Mas, com chuvas abaixo da média anual”, ressalta Werton, salientando, porém, que padrão mais tardio de chuva na região não é novidade. “No La Niña de 2008, a precipitação acima da média foi observada mais para perto do fim do período úmido. Oito ano depois, em 2016, choveu intensamente sobre o Nordeste em janeiro, enquanto a região Sul passou por um período mais seco”, enfatiza.

E o reflexo disso tudo já pode ser comprovado nos levantamentos mensais de previsão da safra 2020/2021 que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) faz. Na quarta edição, divulgada em janeiro, três dos quatro estados que compõem a Matopiba preveem colher uma safra menor que a do ano passado. Destaque para o Piauí que aparece na tabela com previsão de queda de quase 6%, sendo que a estimativa plantada pelos produtores do Piauí é que seja colhida esse ano uma nova safra recorde.

De acordo com os números, até agora a previsão é de que os agricultores piauienses colham menos de 4,7 milhões de toneladas de grãos, volume esse 5,9% menor que o colhido ano passado que foi de quase 5,1 milhões de toneladas.

Bom Jesus é a região mais afetada

Para Alzir Neto, presidente da Associação Piauiense de Produtores de Soja (Aprosoja), a área mais afetada pela escassez de chuvas é a região de Bom Jesus, município que fica a 600 km ao sul de Teresina, considerada a porta de entrada dos Cerrados Piauienses.

Segundo ele, as pancadas de chuvas naquela região foram muito esparsas. “As manchas de chuvas foram poucas até o momento. Ela não prejudicou de fato a colheita de grãos, principalmente de soja, como um todo. Prejudicou sim, o plantio, porque como não choveu o suficiente para hidratar toda a semente, então, a cultura ficou comprometida. Nessa área devemos ter uma queda de 20% na produção”, destacou o produtor, ressaltando que a expectativa está nos próximos 15 dias. “Acreditamos que na segunda quinzena vá melhorar as chuvas nessa região, conforme, também, previu a meteorologia”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI