W.Dias afirma que aumento dos insumos pode levar hospitais ao colapso - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

13 de fev. de 2021

W.Dias afirma que aumento dos insumos pode levar hospitais ao colapso



Os insumos hospitalares voltaram a ser motivo de preocupação dos governadores. Por causa do aumento excessivo de preços, o temor do desabastecimento volta à tona, assim como aconteceu em 2020. O assunto foi discutido na sexta-feira (12) entre os governadores e os presidentes do Senado e Câmara Federal. O governador Wellington Dias (PT), presidente do Consórcio Nordeste e articulador da temática da vacina, defendeu a intervenção do Ministério da Saúde.

“Precisamos trabalhar juntos em busca de uma solução nessa parte da aquisição de medicamentos e insumos, que agora estouraram os preços. Precisamos de uma solução para evitar desabastecimento, e isso levando a uma situação de colapso na rede como já aconteceu em 2020”, disse o governador, que se recupera em casa de uma cirurgia nos olhos.



Segundo Wellington Dias, o Ministério da Saúde tem poder para intervir e garantir a compra dos insumos. “O próprio Ministério da Saúde, com o poder que tem, pode requisitar esses insumos, medicamentos, luvas, testes, exames, enfim, o que for necessário para cuidar de toda, não só da rede covid-19, mas também os outros pacientes em outras áreas”, afirmou.

Wellington Dias disse que o retorno do auxílio emergencial é um socorro à população fundamental.


“Temos o compromisso com a pauta federativa onde o auxílio financeiro é um ponto principal. Essa agenda que está sendo realizada agora entre o presidente da Câmara e do Senado, o ministro Paulo Guedes e o ministro general Ramos, é fundamental para que a gente tenha um socorro aos mais pobres e as condições de evitar um caos social, além da preocupação com o emprego e a retomada do crescimento econômico. Toda essa pauta nós queremos participar, partilhar e contribuir. Apresentamos algumas sugestões e temos o compromisso de ser ouvidos e podemos participar nas decisões dos rumos do Brasil”, declarou.


Wellington Dias defende rapidez na aquisição de vacinas para que o país avance na imunização e cumpra as metas estabelecidas. “Também destaco a emergência que é essa solução que apresentamos como o nosso SOS em relação ao financiamento das vacinas. O financiamento garantindo o cronograma de vacina e vacinação na entrega para os estados, seja em fevereiro, março, abril, maio, junho. O ministro Pazuello anunciou na audiência no Congresso que o governo tem compromisso de vacinação de metade da população brasileira no mínimo até o mês de junho, até agora nós estamos com 2% da população vacinada, algo que vai nos apontar para os primeiros 30 dias de vacinação aproximadamente 3% da população vacinada e, nesse ritmo, nós não vamos alcançar este objetivo. Então, qual é mesmo o cronograma?”, questionou, defendendo a compra direta por estados.


“O que está assegurado de compra, de entrega mês a mês, daqui até o mês de junho para que possamos, com isso, examinar a possibilidade de os estados poderem comprar excedentes, comprar acima daquilo que está programada pelo plano nacional de imunização e pelo mesmo plano Nacional de imunização estados e municípios conseguindo comprar, o de garantir as condições de ampliar vacinação”, falou Wellington Dias. Ele falou que há uma discussão para que setor privado também possa vacinar e, desta forma, acelerar a imunização.

“O próprio setor privado, em regras estabelecidas no Plano Nacional de Imunização, pode ajudar também a acelerar a vacinação no Brasil. Quanto mais cedo sairmos da pandemia através da imunização da nossa população, mais cedo saímos dessa crise”, ressalta.

Wellington Dias classificou a agenda com o senador Rodrigo Pacheco e o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, como positiva.

“Abrimos um bom diálogo com o presidente do Senado, senador Rodrigo Pacheco, e também com o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, para o compromisso lado a lado dos governadores e do Congresso Nacional de, independente das divergências, das disputas políticas, trabalharmos de forma madura uma pauta em que possamos tratar tendo diálogo e o entendimento como parâmetro, dialogando cada um de nós com nossas bancadas, líderes, com a direção das duas casas de maneira que, com isso, possamos apontar um rumo para o Brasil”, disse Wellington Dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI