Águas de Teresina universaliza abastecimento na área urbana da capital - Barra d Alcântara News

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI

8 de out. de 2020

Águas de Teresina universaliza abastecimento na área urbana da capital


Neste mês de outubro a Águas de Teresina celebra o cumprimento da primeira meta contratual da concessionária na capital: universalizar o abastecimento de água na área urbana regular da cidade. Ao todo, 815.549 pessoas são atendidas pela rede de distribuição d’água na capital. Ter água na torneira é um direito fundamental à vida e à cidadania. O passado de bairros inteiros sem água parece, aos poucos, chega ao fim em uma cidade que permanece em eterno desenvolvimento.

Concessionária universaliza abastecimento de água em Teresina


Antes muitos moradores sofriam ante ao sol quente, com baldes na cabeça, transportando o líquido inerente à vida de lá para cá para poder tomar banho durante a noite. “Acho que tem 20 anos que moro aqui e nunca tinha visto água durante o dia. Nossa qualidade de vida melhorou muito com a água na torneira”, conta Isaura Silva, moradora do bairro Porto do Centro

Luciano José Rodrigues, morador do Morro da Esperança, lembra os dias difíceis na casa da família. “Foi resolvido um problema antigo, de mais de 50 anos. Sempre foi assim a vida foi assim. Acabaram com a falta d’água na casa da minha mãe e em mais 15 casas no bairro”, comemora.

Histórias como essa são mais comuns do que se imagina em regiões periféricas de Teresina. Mais recentemente foi a vez do Residencial Ananias Carvalho, com 135 famílias beneficiadas. O local ficava em uma área cedida à igreja, que foi conquistada pelos moradores junto à prefeitura. “Vivíamos de ligações clandestinas quando surgimos aqui há cerca de 5 anos. Pegávamos água de um cano clandestino que vinha do Alto da Ressurreição, mas não dava conta. Agora todo mundo tem em casa sem problema algum”, relata.



Águas de Teresina produz 223 milhões de litros de água por dia


Muito trabalho em pouco tempo

A Águas de Teresina iniciou os trabalhos na capital há três anos, mas muito foi feito em tão pouco tempo. “Não é uma exclusividade daqui, mas sim de todo o país, um deficit grande em água e saneamento. Isso veio se arrastando por vários anos e se acumulou uma grande necessidade de execuções de infraestruturas para melhorar o atendimento em água. Em Teresina o desafio foi posto à mesa e tivemos um foco grande nesses três anos. Focamos na melhoria da performance operacional, otimizando o sistema. Ampliamos e levamos a rede de distribuição com um volume máximo possível das áreas regulares. Lembrando que legalmente devemos atuar na área urbana e áreas regularizadas legalmente”, lembra Pedro Alves, gerente de sustentabilidade da Águas de Teresina.


Teresina atinge 100% de cobertura na área urbana regular Foram necessárias diversas adequações para colocar a distribuição a capital nos eixos. “Nosso trabalho foi intenso em qualificar o sistema para equilibrar a distribuição d’água. Foram muitas obras, três grandes adutoras. A primeira foi na zona Sul, interligando o complexo sul ao centro de reservação no Parque Piauí. Isso permitiu levar mais água para o principal centro de redistribuição. Além disso, aumentamos a capacidade de produção”, considera Pedro Alves.

Com obras estratégicas foi possível interligar redes de distribuição e otimiza a produção. “Interligamos o centro de reservação no Parque Brasil, na Santa Maria da Codipi, a todo o Meio Norte da cidade. Uma adutora de mais de 10 km de extensão. Aumentamos a oferta também por um aumento de produção d’água na zona Norte da cidade. Outra terceira grande adutora que fizemos foi a Centro-Leste, levando água da margem esquerda do Poti para a direita do Poti. Aumentamos a oferta d’água para toda aquela região, levando água também para o Extremo-Leste. Foi tudo pensado na equalização da oferta de água em toda a cidade”, revela o gerente.

A região Sudeste, com problemas conhecidos de abastecimento, teve atenção especial. “Teve os boosters do Dirceu, que transporta a água para a região Sudeste, além do Petrônio Portella que faz a mesma coisa bombeando para a região Leste. É tudo complementado com reforço da rede, interligando redes na cidade. Foram mais de mil intervenções facilitando a distribuição d’água em toda a cidade, interligando redes de redistribuição, equilibrando a oferta d’água”.


Quase 20km de novas adutoras foram implantadasRedução do desperdício

A estrutura antiga trazia consigo um grande problema: o desperdício. No entanto, muito ainda precisa ser feito nesse aspecto.“Nós reduzimos mais de 30% do volume que era perdido d’água. Ainda queremos reduzir mais. Antes tínhamos acima de 63% de desperdício, hoje estamos entre 43%. Nossas equipes de caça vazamentos corrigem os problemas. Trocamos mais de 60 km de ramais, que são de ligações de água das redes para as casas. Isso contribuiu muito. Eles buscam vazamentos com aparelhos que identificam vazamentos não visíveis”, aponta Pedro Alves.


Águas de Teresina reduziu 30,28% nas perdas de água tratadaAs áreas de ocupação irregular terminavam sendo grandes centros de desperdício. E mesmo assim nem todos os moradores tinham água disponível. Com o trabalho da concessionária o sonho de ter água na torneira virou realidade.

Pedro destaca esse trabalho importante. “Nossa capital tem várias que foram se formando ao longo do tempo. As chamadas ocupações irregulares. A grande maioria, por muito tempo, não tinha uma solução fundiária resolvida. Ao longo desse tempo tivemos mais de 9 áreas dessa, praticamente 35 mil pessoas, que nunca tiveram acesso à água e tiveram esse acesso. Porque essas áreas passaram a serem áreas regulares e a empresa imediatamente construiu 80 km de rede para essas regiões, levando água a 35 mil pessoas”, finaliza.

Concessionária universaliza água na capital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

EM BREVE, SUA EMPRESA AQUI